Life Sciences Healthcare Health Safety Facebook LinkedIn Youtube Instagram Instagram WhatsApp Pin Telefone E-mail Filtro Made with love by Platz"

Você sabe o que é traqueostomia, qual o seu real objetivo e quais são as indicações? Vamos falar sobre o assunto neste texto e esclarecer suas principais dúvidas sobre o procedimento.

Então, se deseja saber mais sobre o tema, continue a leitura e confira!

O que é traqueostomia?

Primeiramente, trata-se de uma cirurgia que visa fazer uma abertura na parede da traqueia, possibilitando a entrada e a saída do ar.

De acordo com especialistas, a traqueostomia pode ser definitiva ou temporária. Desse modo, ela é realizada para complementar outro procedimento cirúrgico ou para manter a respiração estável, sem comprometer o conforto do paciente durante determinados tratamentos.

Qual o seu maior objetivo?  

Sem dúvida, o grande objetivo da traqueostomia é oferecer o acesso direto às vias aéreas e preservar o bom desempenho das funções respiratórias, especialmente em casos mais graves, quando o paciente está com acúmulo de secreção.

Indicações para traqueostomia

De fato, as indicações deste importante procedimento cirúrgico podem ter, tanto caráter emergencial, quanto eletivo.

Dessa forma, o procedimento de emergência é realizado no paciente que está sofrendo um bloqueio na passagem do ar na parte mais alta do seu sistema respiratório.

Aliás, o problema pode ser causado por corpo estranho, queimaduras graves, traumas, inchaços nas vias aéreas, entre outros motivos.

No entanto, quando a indicação é eletiva, a pessoa sofre com uma doença neurológia, que acaba afetando os músculos da região. Assim, mesmo a tosse constante não é suficiente para expulsar a secreção das vias respiratórias.

Do mesmo modo, pode ocorrer o estreitamento do diâmetro da traqueia, por conta de entubações, além de outras causas que você vai conferir a seguir.  

Todavia, de um modo geral, o procedimento é recomendado em algumas cirurgias de pescoço e cabeça, em pacientes com dificuldades para respirar ou que precisem da ajuda de aparelhos.

Mas, entre as principais indicações de traqueostomia, podemos citar:

  • Infecções: decorrente de problemas como: epiglote aguda e laringotraqueobronquite, tumores avançados de laringe, tonsilas, faringe e colapsos mecânicos;
  • Traumas: lesões cervicais ou maxilofaciais graves, fraturas ou transecções da laringe ou da traqueia, queimaduras, lacerações ou aspiração de substâncias químicas;
  • Doenças congênitas: como estenoses glóticas, subglóticas ou de traqueia superior, cistos laríngeos, entre outros problemas;
  • Apneia do sono: o procedimento proporciona segurança e garante que o ar tenha passagem livre, apesar do colapso dos músculos enquanto a pessoa dorme. No entanto, o ideal é tentar a ventilação não invasiva como primeira opção;
  • Suporte ventilatório: por ventilação mecânica (VM) prolongada, traqueomalácia e desmame da VM.
O que é traqueostomia? Descubra as indicações e cuidados indispensáveis!

Cuidados essenciais com o procedimento  

Agora que você já sabe o que é traqueostomia e entendeu suas principais indicações, vamos falar sobre os seus cuidados indispensáveis.

Inegavelmente, o procedimento exige algumas medidas especiais para manter o conforto dos pacientes.

Desse modo, é preciso atenção na limpeza da cânula, na fixação e em outros aspectos muito importantes. Confira 10 cuidados fundamentais neste processo:

1 – Sinais que merecem atenção

O profissional responsável deve observar se existe excesso de secreções, sinais de obstrução da via respiratória e se o curativo está sujo ou úmido. Caso esteja, é preciso trocar imediatamente.

Mas, de um modo geral, o item deve ser substituído pelo menos uma vez por dia.

2 – Aspirador

Um aspirador de secreções pode ajudar a evitar a obstrução da cânula. O procedimento é indispensável, pois o acúmulo pode dificultar a chegada de ar aos pulmões.

3 – Higienização

A região que foi aberta precisa ser higienizada com frequência. Pois, este cuidado é essencial para evitar o desenvolvimento de infecções.

4 – Uso de EPIs

Todos os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) devem ser utilizados. Portanto, é essencial usar itens como luvas, máscaras e óculos de proteção.

Além disso, as mãos devem ser higienizadas antes e após o contato com o paciente.

5 – Limpeza da cânula

A cânula de traqueostomia deve ser trocada com frequência. Aliás, é preciso remover o item interno para limpeza. O soro fisiológico ajuda a soltar as secreções do material.

6 – Posição do paciente

O paciente deve ser posicionado com conforto e sua condição respiratória tem que ser analisada com frequência. Portanto, sempre que houver ajuste das novas amarras, é preciso perguntar se a cânula está confortável.

7 – Descarte do curativo  

Antes de retirar as luvas, o recomendado é remover o curativo usado e descartá-lo na luva com o cateter de aspiração enrolado.

8 – Fontes de oxigênio

Um dos cuidados importantes, é promover a hiperoxigenação dos pulmões do paciente. Dessa forma, o ideal é utilizar um ventilador ou aplicar uma fonte de oxigênio folgada sobre a traqueostomia.

9 – Fixação

É fundamental que a fixação esteja bem ajustada ao pescoço. Assim, a cânula não se desloca com a movimentação do paciente. Se isso acontecer, pode causar lesões na parede da traqueia.

10 – Distribuidores de oxigênio

Por fim, é indispensável garantir que os distribuidores de oxigênio e umidificação estejam ajustados da forma certa.

Gostou de saber o que é traqueostomia, conhecer suas indicações e cuidados essenciais?

Então, continue acessando o nosso blog. Pois, em breve teremos novos conteúdos sobre este assunto!

Além disso, se quiser conhecer filtros específicos para aplicação de traqueostomia, clique aqui.

A GVS tem uma série de soluções eficientes, líderes no mercado e capazes de proteger os pacientes de contaminação cruzada e outros riscos! .